Conhecida comumente como o “endurecimento das artérias”, a aterosclerose é um grande problema de saúde pública por ser a causa latente de um amplo espectro de doenças associadas com a dieta e estilo de vida ocidental. A aterosclerose se refere ao processo de estreitamento, endurecimento e, finalmente, bloqueio das artérias. Esses vasos sanguíneos, claro, são responsáveis pelo fornecimento de oxigênio, energia e nutrientes aos órgãos.

Devido a importante função desses vasos sanguíneos, as consequências de má circulação e função vascular limitada são sérias e complexas.

Fatores de risco para Aterosclerose

Os principais fatores de risco são:

Aterosclerose e Aminoácidos

Com exceção de gênero e idade, todos os fatores de risco podem ser influenciados e gerenciados. Uma dieta saudável, exercícios suficientes e não fumar são importantes para reduzir o risco de desenvolver aterosclerose.

Aminoácidos

L-Arginina

A L-arginina é a matéria-prima necessária para influenciar o tônus vascular. A molécula NO (óxido nítrico), que cumpre um papel vital na sinalização de dilatação à parede interna dos vasos sanguíneos (endotélio), só pode ser sintetizada no corpo a partir da L-arginina. Se o endotélio estiver danificado, maiores quantidades de óxido nítrico (e subsequentemente L-arginina) são necessárias. Níveis baixos de L-arginina no sangue são geralmente evidenciados em indivíduos com função arterial inferior.

Muitos estudos mostraram que pacientes com fatores de risco como pressão alta, diabetes mellitus, disfunções no metabolismo lipídico (gordura), obesidade, falta de exercício, tabagismo, aterosclerose, etc. apresentam deficiências de L-arginina, e consequentemente NO, relacionadas com a doença.
Prof. Dr. Horst Robenek, Universitätsklinikum Münster

A correlação entre arginina e saúde vascular foi pesquisada extensivamente e pode ser considerada válida. Uma metanálise executada por Bai et al. em 2009 confirmou que a ingestão regular de L-arginina por um período de alguns meses pode melhorar significativamente a saúde vascular.1 Uma metanálise é uma revisão e avaliação sistemática de vários estudos similares e por isso é considerada extremamente confiável.

Os efeitos positivos da L-arginina na função vascular podem ser explicados através de dois mecanismos: (1) o corpo pode produzir óxido nítrico, a molécula que sinaliza o relaxamento vascular, apenas se tiver quantidades suficientes de L-arginina disponíveis; e (2) L-arginina reduz o catabolismo de dimetilarginina assimétrica (um subproduto do metabolismo proteico que interfere na produção de NO, o óxido nítrico).2

L-Arginina e Ácido Fólico, B6 e B12

Aumente a potência sexual com arginaA homocisteína é um produto de processos metabólicos normais, mas é prejudicial para tecidos vasculares e nervosos. Ela pode ser encontrada naturalmente no sangue, mas a sua concentração deve ser mantida o mais baixa possível. O corpo precisa do trio de vitaminas B: ácido fólico (B9), vitamina B6 e vitamina B12 para quebrar homocisteína.

Em um estudo alemão maior, foram observados os efeitos da suplementação de longo prazo com 2.400 mg de L-arginina em combinação com ácido fólico, vitamina B6 e vitamina B12 em 477 participantes.3 Ao final do período de estudo, mais de 85% dos usuários classificaram o tratamento combinado como bom ou muito bom. A combinação de arginina com o trio de vitaminas B atrasou o desenvolvimento de placas nas paredes arteriais e também ajudou a reduzir a pressão arterial para níveis normais. Os participantes relataram aproximadamente 50% de melhora em vários sintomas como distúrbios circulatórios, capacidade física limitada, bem como dificuldade de concentração.4

Durante o período do estudo, os níveis de homocisteína foram reduzidos em 28%. A suplementação também teve efeitos positivos nos níveis de colesterol.

A combinação de L-arginina com o trio de vitaminas B produz melhores resultados: por um lado, a homocisteína é reduzida; por outro lado, as paredes internas dos vasos sanguíneos (endotélio) têm ótima disponibilidade de NO (óxido nítrico). Isso auxilia na flexibilidade vascular e fluxo sanguíneo.

Além do trio de vitaminas B, a betaína também pode ser benéfica na quebra de homocisteína e ajudar a melhorar os efeitos na saúde vascular.

Betaína e Colina

A betaína é uma substância vegetal derivada de beterrabas que, além do trio de vitaminas B, também é responsável pela quebra de homocisteína no corpo. A European Food Safety Authority (EFSA) também confirmou que a betaína pode contribuir para a redução dos níveis de homocisteína.5

O mesmo é válido para a colina, já que a colina é convertida em betaína pelo corpo. Os efeitos da colina nos níveis de homocisteína também foram confirmados pela EFSA.

L-Carnitina

A L-carnitine transporta ácidos graxos para o interior das células. Ali, a organela responsável pela respiração celular, a mitocôndria, converte eles em energia. Um estudo demonstrou que os níveis de colesterol ruim LDL podem ser reduzidos em diabéticos através do consumo de L-carnitina.6

Vegetais

Vegetais, especialmente extratos de sementes e de cascas, contêm OPCs (proantocianidinas oligoméricas) e polifenóis que servem para a proteção deles. Esses extratos, especificamente o extrato de semente de uva e extrato de casca de pinheiro, foram estudados extensivamente com respeito aos seus efeitos no endotélio. Função vascular melhorada 7 e uma normalização da pressão sanguínea foram observadas frequentemente. 8

Foi descoberto que esses extratos de casca de pinheiro e sementes de uva com OPC promovem processos metabólicos no tecido vascular, especialmente em conjunto com L-arginina. Resultados de diversos estudos demonstram uma circulação melhorada, diminuição da pressão sanguínea e aumento da potência sexual em homens.

Extrato de Casca de Pinheiro

O extrato do pinheiro marítimo francês (pinus pinaster) contém proantocianidinas. De acordo com um estudo conduzido em 2007, essas substâncias vegetais antioxidantes parecem melhorar a função do endotélio (parede interna dos vasos sanguíneos).9

Além disso, estudos demonstraram que a ingestão diária de aproximadamente 100 mg – 150 mg de extrato de casca de pinheiro pode reduzir o risco de acúmulo de plaquetas (trombose/coágulo).10

O extrato de casca de pinheiro é, portanto, uma boa adição ao regime de L-arginina (para melhorar a produção de NO) e o trio de vitaminas B6, B12 e B9 – ácido fólico (para a redução da prejudicial homocisteína) para contribuir com a saúde vascular.

Leia mais aqui!

Quais produtos contribuem para a saúde vascular e a pressão sanguínea?

Os aminoácidos e as vitaminas cumprem um papel na circulação, paredes internas dos vasos sanguíneos saudáveis e pressão sanguínea. Estes produtos contêm aminoácidos e vitaminas importantes para os seus vasos sanguíneos.
Leia mais aqui!

Bibliografia:

  1. Bai Y., Sun L., Yang T., Sun K., Chen J., Hui R. (2009); “Increase in fasting vascular endothelial function after short-term oral L-arginine is effective when baseline flow-mediated dilation is low: a meta-analysis of randomised controlled trials.”;  Am. J. Clin. Nutr. 89, 77-84.
  2. Boger RH, Ron ES. “L-Arginine improves vascular function by overcoming deleterious effects of ADMA, a novel cardiovascular risk factor.”; Altern Med Rev. 2005 Mar;10(1):14-23.
  3. Jung K., Petrowicz O. (2008); “L-Arginin und Folsäure bei Arteriosklerose. Ergebnisse einer prospektiven, multizentrischen Verzehrsstudie.” (L-arginine and folic acid in incidences of atherosclerosis. Results of a prospective, multi-center consumption study) Perfusion 21, 148-156.
  4. Robenek, H.; “Arteriosklerose, Herzinfarkt, Schlaganfall. Therapeutisches Potential von L-Arginin” (Atherosclerosis, heart attack, stroke. The therapeutic potential of L-arginine); 7. Aufl. (Edition) 2013; S. 7
  5. http://www.efsa.europa.eu/en/efsajournal/doc/2052.pdf
  6. Deprosa, G., et al.; “The effect of L-Carnitine on plasma lipoprotein (a) levels in hypercholesterolemic patients with type 2 diabetes mellitus”; Clin Ther 2003; 25(5): S.1429-1439
  7. Edirisinghe, I., Randolph, J., et al, “Effect of grape seed extract on postprandial oxidative status and metabolic responses in men and women with the metabolic syndrome – randomized, cross-over, placebo-controlled study”; Functional Foods in Health and Disease, 2013, Vol 2, Issue 12
  8. Roninson, M., et al.; “Effect of Grape Seed Extract on Blood Pressure in Subjects with Pre-Hypertension”; Journal of Pharmacy and Nutrition Sciences, Vol. 2, pp 155-159, 2013
  9. Nishioka K, Hidaka T, Nakamura S, et al. Pycnogenol, French maritime pine bark extract, augments endothelium-dependent vasodilation in humans. Hypertens Res. 2007;30(9):775-780
  10. Araghi-Niknam M, Hosseini S, Larson DF, Rodhewald P, Watson RR.; “Pine bark extract reduces platelet aggregation.”; Int Med. 1999;2(2):73-77; e também em: Putter M, Grotemeyer KH, Wurthwein G, et al.; “Inhibition of smoking induced platelet aggregation by aspirin and pycnogenol.”; Thromb Res. 1999;95(4):155-161
Share and help your friends!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Tumblr