Aproximadamente 15% dos casais não têm filhos involuntariamente. Para quase 60% desses casais, a causa é a fertilidade limitada do homem. A qualidade do esperma está diminuindo durante as últimas décadas, uma tendência clara e desanimadora.1 Em média, um homem de 30 anos hoje em dia tem menos da metade do esperma capaz de fertilizar um óvulo do que o mesmo homem 50 anos atrás. A maioria dos pesquisadores acredita que a causa disso é a má alimentação.2

Um estudo francês de longo prazo conduzido em 2012 descobriu que a qualidade média do esperma (contagem, concentração, motilidade) nos homens decaiu 30% só nos últimos 17 anos. O estudo incluiu espermogramas de mais de 5.000 homens de várias clínicas. Por isso os resultados podem ser considerados muito significativos. Se estima que 40% dos homens no mundo inteiro têm um espermograma ruim e consequentemente fertilidade limitada.

Causas de fertilidade limitada

Causas específicas ainda não foram identificadas, mas os pesquisadores concordam que a causa mais provável é uma combinação da poluição crescente e má alimentação.

Durante os últimos 25 anos, universidades independentes conduziram mais de 200 estudos em humanos. Esses estudos demonstraram que vários aminoácidos, vitaminas e microelementos cumprem uma função central na qualidade do esperma.

Esses micronutrientes, como as vitaminas, aminoácidos e microelementos, além de extratos vegetais estão disponíveis na forma de suplementos alimentares. Como esses produtos são geralmente bem tolerados e inofensivos, eles podem ser comprados sem receita médica.

Mais isso não significa que aminoácidos e vitaminas não sejam potentes. Na verdade, uma análise de 17 estudos clínicos selecionados evidencia que eles são altamente efetivos. Em 82% dos estudos a qualidade do esperma melhorou e em 60% foram observadas taxas de gravidez significativamente mais altas.3

Espermograma normal de acordo com a OMS

Um espermograma normal, como definido pela OMS (Organização Mundial da Saúde), tem as seguintes características.4

IndicatorBenchmark value (WHO 2010)Benchmark value (WHO 1999)
Ejaculate Volumeabove 1.5 mlabove 2.0 ml
Sperm Count (million / ml)above 15 above 20
Total Sperm above 39 millionabove 40 million
pH Valueabove 7.2above 7.2
% Normal Forms (Morphology)more than 4% normal formsmore than 14% normal forms
Progressive Movement (Motility)more than 32% progressivemore than 50% progressive
Total Motilitymore than 40%more than 50%
Vitality in %more than 50%more than 50%
AntibodiesLess than 50% with antibodiesLess than 50% with antibodies
White Blood Cells (million / ml)below 1below 1

Como você pode perceber, a OMS abrandou alguns dos critérios para 2010 se comparado com os padrões de 1999. Homens que eram considerados de fertilidade limitada de acordo com as definições antigas da OMS agora estão na categoria fértil de acordo com os novos padrões. Quando os resultados são limítrofes, muitos doutores recomendam que os homens incentivem diligentemente o desenvolvimento espermático através de alimentação adequada e hábitos saudáveis. Combinações de aminoácidos e vitaminas são recomendadas mesmo quando casais sem filhos decidem tentar a inseminação artificial ou fertilização in-vitro (FIV), já que elas podem aumentar as possibilidades de fertilização.

Aminoácidos que melhoram o espermograma

Aminoácidos importantes para o desenvolvimento de esperma

L-arginina, um elemento fundamental na síntese de espermatozóides, L-carnitina necessária para a geração de energia. L-cisteína e glutationa protegem do estresse oxidativo.

L-arginina: elemento fundamental da espermina e espermidina

Espermograma e FertilidadeOs principais componentes da ejaculação masculina, espermina e espermidina, são compostos em grande parte de L-arginina. Por este motivo, testes para determinar se o consumo de L-arginina teria um efeito positivo na qualidade dos espermogramas de homens com fertilidade limitadas foram os primeiros a serem conduzidos.

E sim, de fato: um estudo demonstrou que ao tomar uma dose diária de 4.000 mg de L-arginina, 75% dos homens com esperma com motilidade insuficiente conseguiram melhorar seus espermogramas significativamente. 5 Em um estudo de acompanhamento conduzido na Itália, homens com concentração normal de esperma (mais de 20 milhões por ml), porém esperma com motilidade limitada, receberam L-arginina. A dose diária de 8.000 mg foi muito alta. Os resultados deste estudo também indicam uma melhora expressiva na motilidade espermática.6

L-carnitina: necessária para fornecer energia às células

Melhore espermogramas com argininaCom uma concentração de L-carnitina 2.000 vezes mais alta que o sangue, os espermatozóides são as células com mais carnitina do corpo.

A L-carnitina transporta ácidos graxos para dentro das células, onde são utilizados para gerar energia. Geração de energia é especialmente importante para o esperma e muita energia vem dos ácidos graxos. Os espermatozóides têm que viajar uma grande distância, relativa ao seu tamanho, para alcançar o óvulo.

Até mesmo em um homem com fertilidade normal, apenas a metade dos seus espermatozóides têm motilidade suficiente. Uma proporção de esperma na ejaculação com motilidade normal abaixo de uma certa porcentagem (de acordo com a OMS, pelo menos 32% progressivamente móvel, veja acima) resulta em uma condição conhecida como “astenozoospermia”.

Estudos demonstraram que homens com astenozoospermia podem melhorar a motilidade de esperma existente significativamente consumindo L-carnitina. Em um estudo onde homens receberam uma dose diária de 3.000 mg de L-carnitina, a proporção de esperma móvel foi melhorada em 75% (de 10.8% para 18.0%).7 Um estudo italiano, conduzido seguindo os padrões clínicos mais elevados, demonstrou que tomar L-carnitina por um período maior de seis meses melhorou expressivamente a motilidade espermática.8 Essas descobertas foram confirmadas depois por um estudo subsequente.9

L-cisteína e Glutationa

A glutationa é um tripeptídeo, um composto de três aminoácidos. É um dos melhores protetores contra radicais livres e outros estresses oxidativos. Um fornecimento suficiente do aminoácido cisteína é especialmente importante para a produção corporal de glutationa. Vários estudos apontam uma correlação entre níveis sanguíneos suficientes de glutationa e melhor fertilidade.

A cisteína deve ser ingerida preferencialmente na forma da estável N-acetil cisteína (NAC) para melhorar os níveis de glutationa.

Extrato de Casca de Pinheiro

Extrato de Casca de Pinheiro e fertilidadeO extrato de casca de pinheiro contém uma grande quantidade de proantocianidinas. Elas têm qualidades anti-inflamatórias e antibacterianas que protegem os vasos sanguíneos e também ajudam a proteger esperma sensível.

Diversos estudos mostraram que a quantidade de esperma pode ser aumentada significativamente com a ingestão de L-arginina em combinação com extrato de casca de pinheiro.10

A combinação de extrato de casca de pinheiro e L-arginina também tem um efeito colateral positivo para casais: o homem pode ter sua potência aumentada devido a circulação melhorada. Isso foi observado em vários casos.

Vitaminas e Microelementos

Vitaminas e microelementos também são importantes na criação e proteção de esperma capaz de fertilizar. Eles cumprem uma função na produção e na proteção contra estresse oxidativo (radicais livres).

Vitamina C

A vitamina C (ácido ascórbico) é a mais importante vitamina solúvel em água com funções antioxidantes. Os níveis de vitamina C estão diretamente relacionados com a quantidade de vitamina C ingerida. Há uma correlação entre níveis baixos de vitamina C e fertilidade reduzida, bem como um aumento de esperma danificado geneticamente.11 Vários estudos concluíram que uma dose diária de apenas 200 mg de vitamina C pode resultar em melhorias significativas na contagem de esperma.12 Aumentar a dose (entre 1.000 mg e 2,000 mg) oferece resultados um pouco melhores.

Deficiência de vitamina C: É muito surpreendente que apesar da ampla disponibilidade de frutas e vegetais frescos e o consumo de suplementos alimentares, aproximadamente um terço da população não recebe a dose diária mínima recomendada de vitamina C (pelo menos 80 mg por dia). Esta deficiência foi evidenciada pelo ministério de agricultura e proteção ao consumidor do governo federal alemão (Bundesministerium für Landwirtschaft und Verbraucherschutz).13

Vitamina E

A vitamina E é o antioxidante lipofílico mais importante e protege gorduras de estresse oxidativo. Por isso uma pequena quantidade de vitamina E é adicionada em óleos de alta qualidade com ácidos graxos ômega 3 durante a produção. Diversos estudos demonstraram que tomar uma dose alta de vitamina E em combinação com selênio e outros antioxidantes pode melhorar o número e concentração de esperma móvel, bem como a quantidade de esperma.14 Em um estudo, 32% dos casais que receberam suplementação de vitamina E e selênio engravidaram. No grupo de controle, que recebeu placebo, apenas 3% dos casais engravidaram.

Vitamina D

A vitamina D (conhecida como a vitamina do sol por ser produzida pelo corpo ao ser exposto à luz UV) é, em muitas partes do mundo ocidental, a vitamina mais deficiente. O motivo: falta de exposição à luz solar. Mesmo se a pessoa se atrever a sentar no sol na hora do almoço, ela usa protetor solar. Muitos produtos cosméticos também contêm proteção UV. Enquanto essas medidas diminuem o risco de câncer de pele e desenvolvimento de rugas, a pele não consegue mais produzir as quantidades necessárias de vitamina D.

Deficiência de vitamina D: 85% afetados

Entre 80% e 90% da população alemã apresenta níveis baixos de vitamina D. Como a comida contém apenas quantidades mínimas de vitamina D, esta deficiência não pode ser compensada com uma alimentação saudável. A luz do sol pode produzir quantidades suficientes de vitamina D na pele apenas durante os meses de verão entre 10:00 e 16:00.

Além de um sistema imunológico debilitado, fadiga e problemas com absorção de cálcio (a longo prazo, podem causar osteoporose), a fertilidade limitada em homens também é relacionada com a deficiência de vitamina D.15 Pesquisadores suspeitam que a deficiência de vitamina D afeta negativamente a produção de esperma e também tem um efeito adverso no processo de fertilização.

Ácido fólico

Aproximadamente 80% da população não consome ácido fólico suficiente, a vitamina B9. O ácido fólico é importante para a divisão celular e fornecimento de energia celular. Sabe-se que uma deficiência de ácido fólico em mulheres durante as primeiras semanas de gravidez aumenta em quatro vezes os riscos de doenças congênitas, especificamente a espinha bífida.

Para homens, baixos níveis de ácido fólico são associados ao aumento no número de espermatozóides com dano genético.16 Em diversos estudos, a suplementação com ácido fólico resultou em melhora na motilidade do esperma.17

Zinco

A vontade de ter filhos e os aminoácidosO zinco é um microelemento envolvido na criação de mais de 200 enzimas. Ele também é vital para a fertilidade masculina e cumpre um papel na produção do hormônio masculino testosterona.

Vários estudos viram efeitos positivos expressivos do zinco na formação de esperma. Homens com uma contagem de menos de 8 milhões de espermatozóides por ml (a contagem normal de espermatozóides é de pelo menos 20 milhões por ml) e baixos níveis de testosterona receberam 24 mg de zinco por dia.

Depois de três meses de terapia com zinco, os homens alcançaram uma contagem de 20 milhões de espermatozóides por ml. Eles alcançaram uma concentração normal de esperma de acordo com os padrões da OMS.

Os níveis de testosterona também aumentaram consideravelmente e, com isso, o fundamental apetite sexual. O resultado final foram nove gravidezes.18

Qual aminoácido é mais eficaz? A combinação é o segredo!

Muitos estudos iniciais envolviam doses muito altas de micronutrientes isolados. Essas doses altas, no entanto, estavam disponíveis apenas com receita médica em muitos países. Estudos mais recentes concluíram que os melhores resultados são conseguidos com uma combinação dos componentes mais importantes em um dose moderadamente alta que é mais fácil de ser digerida. Isso faz sentido, já que todas as deficiências devem ser evitadas.

L-arginina, L-carnitina, glutationa, vitamina E, vitamina C, ácido fólico, Q10, selênio e zinco são muito eficazes sozinhos, mas alcançam resultados positivos especialmente quando usados em combinação. Isso foi confirmado por três estudos. Seguindo um regime de três meses de uma terapia combinada, 25% dos homens que participaram do primeiro estudo conseguiram um espermograma normal.19

No segundo estudo, os resultados da terapia de combinação foram comparados com os resultados de um grupo de controle que recebeu placebo. O grupo que recebeu a terapia de combinação mostrou aumentos significativos na concentração e motilidade espermática. O grupo que recebeu a terapia de combinação teve 34 gravidezes, enquanto o grupo que recebeu o placebo teve apenas 11.20

Um estudo brasileiro utilizando uma combinação similar de vitaminas, aminoácidos e microelementos confirmou que os espermogramas podem melhorar significativamente com essa abordagem.21

Combinação por um esperma melhor

Aqui: Produtos recomendados

0%
Motilidade aumentada
0%
Concentração de esperma aumentada
0%
Volume da ejaculação aumentado
0%
Espermograma normal (antes: 0%)

É necessário um regime de no mínimo 3 meses

A espermatogênese ocorre nos túbulos seminíferos dos testículos. Aproximadamente 1.000 espermatozóides são produzidos por segundo, até 4 milhões por hora. Um ml de sêmen contém entre 20 e 64 milhões de espermatozóides. Se um homem tem menos de 20 milhões de espermatozóides por ml, sua condição é chamada de oligozooespermia e sua fertilidade é limitada.

O esperma precisa entre dois e três meses para amadurecer completamente. Durante esse período, essas células sensíveis precisam ser protegidas de estresse oxidativo e receber os nutrientes adequados. Estudos que mediram os efeitos dos aminoácidos e vitaminas no desenvolvimento espermático foram conduzidos durante um período de pelo menos três a nove meses.

0Days
Taxas de amadurecimento do esperma

Terapia de vitamina e aminoácido sem efeito colaterais

Se você quer aumentar ativamente as suas chances de engravidar com seu parceiro, estes micronutrientes devem ser tomados por um período de pelo menos três meses.

Já que aminoácidos, vitaminas e microelementos são compostos nutricionais especializados que ocorrem naturalmente, adicionar eles na dieta geralmente não causa efeitos colaterais adversos. Em muitos casos, o oposto acontece: aminoácidos, vitaminas e microelementos são micronutrientes que podem ter benefícios adicionais para a saúde. Por exemplo, eles podem fortalecer o sistema imunológico ou ter efeitos positivos na circulação e na regeneração da pele.

Por isso não há nenhuma contraindicação médica para continuar uma terapia com aminoácido ou vitamina por um período de seis ou até mesmo doze meses.

Leia mais aqui!

Quais produtos promovem o desenvolvimento de esperma?

Há uma grande diferença de preços, doses e combinações. Compare!
Leia mais aqui!

Outras coisas que você pode fazer para promover um esperma saudável

Uma dieta saudável com aminoácidos!Vários hábitos também podem ajudar a promover um desenvolvimento saudável de esperma:

  1. Evite fumar e tomar álcool: ambos danificam o esperma e estão associados com a fertilidade limitada e redução da possibilidade de gravidez.
  2. Evite medicamentos: diversos medicamentos podem reduzir a fertilidade.
  3. Evite calor: o desenvolvimento de esperma nos testículos é sensível ao calor. Cadeiras com calefação no carro ou calças muito apertadas devem ser evitadas.
  4. Perca peso: Homens com peso normal (por ex. com um IMC (Índice de Massa Corporal) entre 20 e 25) têm esperma mais saudável e em maior quantidade que homens acima do peso. Reduza o seu consumo de comidas prejudiciais à saúde sem sacrificar as vitaminas e microelementos necessários. Faça exercícios regularmente, de preferência ao ar livre. Isso pode melhorar o seu humor e nível de vitamina D.
  5. Frutas e vegetais, especialmente frescos: consuma-os em grandes quantidades. Certifique-se de lavar bem as frutas e vegetais. Dê preferência a produtos orgânicos que contêm menos pesticidas e outras substâncias nocivas.

Bibliografia:

  1. Sween S.H., Elkin E.P., Fenster L. The question of declining sperm density revisited: An analysis of 101 studies published 1934-1996; Environmental Health Perspectives 2000; 108 (10).
  2. Sinclair, Stephen; “Male Infertility: Nutritional and Environmental Considerations”; Altern Med Rev 2000;5(1):28-38.
  3. Ross, C., et al.; “A systematic review of the effect of oral antioxidants on male infertility”; Reproductive BioMedicine Online; Vol. 20, Issue 6, Pag. 711-723, Junho 2010; http://dx.doi.org/10.1016/j.rbmo.2010.03.008
  4. World Health Organization. Laboratory manual for the examination of human semen and sperm–cervical mucus interaction, WHO 5th ed. WHO Junho 2010.
  5. Schachter A, Goldman JA, Zukerman Z.; “Treatment of oligospermia with the amino acid arginine.” J Urol 1973;110:311-313.
  6. Scibona M, Meschini P, Capparelli S, et al. “L-arginine and male infertility.” Minerva Urol Nefrol 1994;46:251-253.
  7. Costa M, Canale D, Filicori M, et al. Lcarnitine in idiopathic astheno-zoospermia: a multicenter study. Italian Study Group on Carnitine and Male Infertility. Andrologia 1994;26:155-159.
  8. Lenzi, Lombardo, Sgro, et al.: Use of carnitine therapy in selected cases of male factor infertility: a double-blind crossover trial. Fertil Steril 2003. 79:292-300
  9. Balercia, Regoli, Armeni, Koverech, Mantero, Boscaro: Placebo-controlled double-blind randomized trial on the use of L-carnitine, L-acetylcarnitine, or combined L-carnitine and L-acetylcarnitine in men with idiopathic asthenozoospermia. Fertility an Sterility 2005. Vol. 84, issue 3:662-71
  10. Roseff SJ.; “Improvement in sperm quality and function with French maritime pine tree bark extract.”; J Reprod Med. 2002 Oct;47(10):821-4.
  11. Dabrowski K, Ciereszko A. Ascorbic acid protects against male infertility in a teleost fish. Experientia 1996;52:97-100.
  12. Fraga CG, Motchnik PA, Shigenaga MK, et al.; “Ascorbic acid protects against endogenous oxidative DNA damage in human sperm.” Proc Natl Acad Sci U S A 1991;88:11003-11006 // also: Dawson EB, Harris WA, Rankin WE, et al.; “Effect of ascorbic acid on male fertility.” Ann NY Acad Sci 1987;498:312-323
  13. Nationale Verzehrsstudie (Relatório de Consumo Nacional) 2008, Ergebnisbericht Teil 2 (Relatório de descobertas – Parte 2) , Anhang (Anexo) “Vitamin C”
  14. Moslemi MK1, Tavanbakhsh S.; “Selenium-vitamin E supplementation in infertile men: effects on semen parameters and pregnancy rate.”; Int J Gen Med. 2011 Jan 23;4:99-104. doi: 10.2147/IJGM.S16275. Também: Keskes-Ammar L, Feki-Chakroun N, Rebai T, Sahnoun Z, Ghozzi H, Hammami S, Zghal K, Fki H, Damak J, Bahloul A.; “Sperm oxidative stress and the effect of an oral vitamin E and selenium supplement on semen quality in infertile men.”; Arch Androl. 2003 Mar-Apr;49(2):83-94.
  15. Hammoud AO1, Meikle AW, Peterson CM, Stanford J, Gibson M, Carrell DT.; “Association of 25-hydroxy-vitamin D levels with semen and hormonal parameters.”Asian J Androl. 2012 Nov;14(6):855-9. doi: 10.1038/aja.2012.77. Epub 2012 Oct 8.; http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/23042450
  16. Boxmeer JC1, Smit M, Utomo E, Romijn JC, Eijkemans MJ, Lindemans J, Laven JS, Macklon NS, Steegers EA, Steegers-Theunissen RP.; “Low folate in seminal plasma is associated with increased sperm DNA damage.”;Fertil Steril. 2009 Aug;92(2):548-56. doi: 10.1016/j.fertnstert.2008.06.010. Epub 2008 Aug 22.
  17. Wong WY1, Merkus HM, Thomas CM, Menkveld R, Zielhuis GA, Steegers-Theunissen RP.; “Effects of folic acid and zinc sulfate on male factor subfertility: a double-blind, randomized, placebo-controlled trial.”; Fertil Steril. 2002 Mar;77(3):491-8
  18. Netter A, Hartoma R, Nahoul K. Effect of zinc administration on plasma testosterone, dihydrotestosterone, and sperm count. Arch Androl 1981;7:69-73.
  19. Imhof, M., et al.;”The use of the nutraceutical PROfertil ®. a therapy of the male factor”; EAU Bratislava 2010
  20. Imhof, M., et al.; “Improvement of sperm quality after micronutrient supplementation”; Europ. Urolog. Review Vol. 6 Issue 6
  21. Ajayi, R., Okhowat, J., Spitzer, D., Schechinger, B., Zech, N.; “Impact of antioxidative supplementation on semen quality according to MSOME criteria”; JBRA Assist. Reprod., V.17, n1; Jan Feb / 2013
Share and help your friends...Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Tumblr0