A L-carnitina cumpre um papel fundamental no transporte de ácidos graxos para dentro das células. Quando estão dentro das células, os ácidos graxos são convertidos em energia. Portanto a carnitina é importante para processos de fornecimento de energia e queima de gordura. Indivíduos saudáveis requerem aprox. 300 mg de L-carnitina por dia. Este requisito pode aumentar significativamente em situações especiais (atividade física, gravidez, doença). O envelhecimento também aumenta a demanda.

O corpo é capaz de sintetizar pequenas quantidades de carnitina sozinho utilizando elementos como a niacina, vitamina B6, ferro e vitamina C. No entanto, a maioria (aprox. 90%) deve ser ingerida através de comida.

O nome “carnitina” oferece uma dica sobre a sua origem. É quase exclusivamente encontrada em carne (latim: carnis). Vegetais têm muito pouca carnitina. Por este motivo, é comum que vegetarianos apresentem baixos níveis de carnitina no sangue.

Durante os anos 90, a carnitina foi a grande esperança da indústria das dietas: a ingestão de L-carnitina pode impulsionar a queima de gordura?

Quais são as funções da L-carnitina no corpo?

      • Transporte de ácidos graxos (energia) para o interior das células;
      • Reduz o tempo de recuperação de atletas;
      • Desintoxica células, melhora a função imunológica;
      • Melhora o metabolismo de glicose, portanto é recomendada para diabéticos;
      • Regula o metabolismo de lipídios e pode ter efeitos positivos nos níveis de colesterol;
      • É importante para o desenvolvimento do feto durante a gravidez e do recém-nascido durante a amamentação;
      • Fornece energia ao esperma, promove a fertilidade masculina.
Grandes quantidades de L-carnitina só podem ser encontradas em carne. Para o corpo sintetizar a sua própria carnitina, é necessário lisina, ferro e vitamina C. Comidas com alta concentração de L-cartinina:

  • Caranguejo (9.000 mg por kg)
  • Carneiro (2.100 mg por kg)
  • Cabra (1.700 mg por kg)
  • Cordeiro (780 mg por kg)
  • Carne Bovina (700 mg por kg)
  • Porco (300 mg por kg)

Aves contêm apenas 80 mg por kg. Um litro de leite contém aprox. 25 mg de L-carnitina. Comidas vegetarianas contêm menos de 30 mg de L-carnitina por kg: arroz – 18 mg por kg, abacates – 13 mg por kg, pão – 8 mg por kg, batatas – 0,3 mg por kg.

As causas de deficiência de carnitina ou aumento das necessidades incluem:

  • Gravidez, amamentação
  • Dieta vegetariana
  • Níveis baixos de ferro ou vitamina C
  • Atividade esportiva intensiva
  • Idade
  • Infecções, especialmente a AIDS
  • Hipotireoidismo (subfunção da glândula tireoide)
  • Distúrbios das funções hepáticas ou renais

Vegetarianos apresentam baixos níveis de ferro em particular, que afetam negativamente a produção de carnitina.

O corpo precisa entre 100 mg e 300 mg por dia. Na medicina nutricional são recomendadas doses diárias entre 500 mg e 5.000 mg.
Mesmo com doses altas de 5.000 mg por dia, não deve haver nenhum efeito colateral. Em casos raros, podem ocorrer pequenos problemas digestivos.

Funções e benefícios da L-carnitina

Melhoria do metabolismo lipídico com a L-carnitina?

Resistência e CarnitinaNo corpo, a queima de gorduras é um processo dependente de diversos fatores. Para saber se a suplementação com L-carnitina como meio de transporte dos ácidos graxos para dentro das células pode simplificar a queima de gordura, devemos saber se a quantidade de L-carnitina disponível é ou não um fator limitante.

Em um estudo conduzido em 1998, indivíduos obesos conseguiram estimular a queima de gordura suplementando com carnitina. 1 De acordo com estudos mais recentes, em muitos casos a quantidade de lipases ou a permeabilidade da membrana celular é o fator limitante.

A suplementação com L-carnitina pode levar ao aumento da queima de gordura apenas em casos onde há uma disponibilidade limitada de carnitina no corpo. Para pessoas que raramente se exercitam, a L-carnitina não deverá oferecer nenhum aumento na queima de gordura. No entanto, para indivíduos mais ativos, a ingestão de carnitina pode promover o metabolismo lipídico. 2

L-carnitina para encurtar o tempo de recuperação após atividades físicas

A carnitina melhora a recuperaçãoComo molécula receptora, a L-carnitina é necessária para canalizar ácidos graxos ativados desde o citoplasma até a membrana da mitocôndria. Dentro da mitocôndria os ácidos graxos são convertidos em energia. Acredita-se que a carnitina também transporta ácido lático e com isso protege os geradores de energia celular (a mitocôndria) de acidose.

Diversos estudos demonstraram que depois de atividades de resistência o tempo de recuperação pode ser reduzido com L-carnitina.

Além disso foi observado que após uma atividade muscular intensa como levantamento de peso, as dores musculares podem ser reduzidas com a ingestão de L-carnitina.

L-carnitina para a saúde espermática

Esperma e carnitinaA carnitina pode aumentar a motilidade espermática em homens. O esperma precisa de muita energia que é fornecida por ácidos graxos de cadeia longa. Esses ácidos graxos devem ser transportados para dentro das células através da carnitina para serem convertidos em energia. Parece que a disponibilidade de carnitina pode ser um fator limitante na habilidade de geração de energia do esperma.

Diversos estudos comprovaram consistentemente que o número de espermatozoides móveis e saudáveis em homens com oligozooespermia (baixa contagem de esperma) ou astenozoospermia (motilidade reduzida do esperma na ejaculação) pode aumentar consideravelmente com a ingestão de L-carnitina. Participantes do estudo consumiram L-carnitina por um período variável entre três e seis meses. 3 4  5

Leia mais aqui!

Como posso aumentar as minhas chances de engravidar?

Além da L-carnitina, outros aminoácidos, vitaminas e antioxidantes podem ter um impacto significativamente positivo na probabilidade de gravidez.
Leia mais aqui!

Gravidez e amamentação

Carnitina e gravidezMulheres grávidas ou amamentando apresentam uma necessidade maior de L-carnitina. É por isso que mulheres grávidas têm em muitos casos um nível sanguíneo de carnitina mais baixo que mulheres não grávidas.

Tanto o sangue do cordão umbilical quanto o leite materno contém altas concentrações de L-carnitina. Isso demonstra a importância da L-carnitina no desenvolvimento da primeira infância. A suplementação com L-carnitina durante a gravidez pode estimular uma melhora no ganho de peso e desenvolvimento do recém-nascido.

Já que a vitamina C e o ferro são importantes para a síntese de carnitina, a disponibilidade de carnitina pode ser melhorada com a suplementação de vitamina C e ferro.

A carnitina pode ajudar a reduzir o colesterol

A carnitina demonstrou efeitos positivos no metabolismo de triglicerídeos. Em um estudo, participantes receberam 900 mg de L-carnitina por dia durante um período de 8 semanas. Os resultados mostraram uma redução significativa dos níveis de colesterol. 6 Em outro estudo em que pacientes com distúrbios do metabolismo lipídico receberam 3.000 mg de L-carnitina por dia durante seis semanas, os valores de colesterol também melhoraram. 7 Os níveis de triglicérides no sangue foram reduzidos e a proporção de colesterol HDL dentro do colesterol total foi melhorada. Um estudo conduzido em 1982 observou níveis de colesterol LDL mais baixos em participantes que receberam suplementação de L-carnitina. O nível de colesterol HDL (colesterol “bom”) continuou o mesmo. 8

Leia mais aqui!

O que pode ajudar a reduzir o colesterol?

Como elementos nutricionais, a carnitina e outras vitaminas e minerais são especialmente importantes para reduzir o colesterol ruim.
Leia mais aqui!

Reduzindo os níveis glicêmicos

Em um estudo conduzido em pacientes com diabetes mellitus, a suplementação com L-carnitina melhorou significativamente o metabolismo glicêmico. A resistência à insulina diminuiu e a glicose no sangue foi melhor utilizada. 9 Mesmo os altos níveis típicos de lipídios no sangue (triglicerídeos e cetonas) geralmente associados com diabetes foram reduzidos nos participantes do estudo com L-carnitina.

Bibliografia:

  1. Lutz, R., Fischer, R., “Carnitin zur Unterstützung der Gewichtsabnahme bei Adipositas” (Carnitine for weight loss support in obesity); ZÄN Ärztezeitschrift für Naturheilverfahren (Magazine for Natural Healing Processes), 39 (1), pp. 12-15, 1998
  2. Arndt, K., Albers, T.; “Handbuch Protein und Aminosäuren” (Manual Protein and Amino Acids); 2. Aufl. (Edition) (2004), S. 263 ff.
  3. Costa M, Canale D, Filicori M, et al. Lcarnitine in idiopathic astheno-zoospermia: a multicenter study. Italian Study Group on Carnitine and Male Infertility. Andrologia 1994;26:155-159.
  4. Lenzi, Lombardo, Sgro, et al.: Use of carnitine therapy in selected cases of male factor infertility: a double-blind crossover trial. Fertil Steril 2003. 79:292-300
  5. Balercia, Regoli, Armeni, Koverech, Mantero, Boscaro: Placebo-controlled double-blind randomized trial on the use of L-carnitine, L-acetylcarnitine, or combined L-carnitine and L-acetylcarnitine in men with idiopathic asthenozoospermia. Fertility and Sterility 2005. Vol. 84, issue 3:662-71
  6. Maebashi M et al.; “Lipid lowering effect of carnitine in patients with type IV hyperliproteinemia”; Lancet (1978) 2: 805-807
  7. Pola, P. et al.; “Carnitine in the therapy of dyslipidemic patients”; Curr Ther Res (1980) 27: 763-764
  8. Hopkins, J.; “Effect of carnitine on serum HDL-cholesterol: report of two cases”; Medical Journal (1982)Vol. 150, issue 2, pages. 51-54)
  9. Giancaterini, . et al, “Acetyl-l-Carnitine infusion increases glucose disposal in type 2 diabetic patients”, Metabolism, 49(6), pp. 704-708, 2000
Share and help your friends!Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterEmail this to someoneShare on Tumblr