Lisina

/Lisina
Lisina 2016-12-15T16:27:12+00:00

A Lisina é um aminoácido que demonstrou ser efetivo no combate a Herpes e é conhecido como remédio caseiro para a doença. Ele também é adicionado a outras substâncias para melhorar ou acelerar sua absorção.

A Lisina é um aminoácido essencial, o que significa que o corpo não pode sintetizar lisina sozinho e portanto depende de fontes externas para obter o aminoácido. O corpo precisa de aproximadamente entre 1 e 1,5 gramas de lisina por dia. Alimentos de fontes animais como carne, peixe, leite e ovos têm a maior quantidade de lisina. Outras boas fontes são ervilhas e nozes.

Geralmente, alimentos vegetais contêm quantidades relativamente pequenas de lisina. O valor biológico de quase todas as proteínas vegetais pode ser melhorado com o consumo de lisina (por favor veja valor biológico).

Junto com a metionina, a lisina cumpre uma função importante na produção de carnitina. A deficiência em lisina pode causar um déficit de carnitina. A carnitina, por sua vez, é um elemento importante na conversão de ácidos graxos em energia.

Além disso, um estudo demonstrou que a lisina pode ter efeitos de redução de colesterol.

1

Efeitos da Lisina

Menos recaídas de herpes

Tratando o herpes com lisinaA lisina foi usada para tratar e prevenir o herpes. Depois de vários estudos que demonstraram resultados promissores utilizando a lisina contra o vírus do herpes2 3, um estudo americano, randomizado, controlado por placebo e duplo-cego conduzido em 1984 foi pioneiro e revolucionário. Quarenta e um pacientes com herpes recorrente participaram do estudo.

O grupo que recebeu 1.248 mg de monocloridrato de lisina por dia teve uma redução significativa na recorrência da infecção em comparação com o grupo de placebo. Uma dose menor de 624 mg de monocloridrato de lisina por dia não teve efeito. Nenhuma das doses demonstrou redução na duração da infecção. 4

Em doses mais altas, ajuda a curar as infecções de herpes mais rápido

Vírus da herpes e lisinaAtravés de doses mais altas, o número e a severidade das erupções de herpes podem ser reduzidos. Em um estudo duplo-cego controlado por placebo conduzido pela Universidade de Indiana em Indianápolis, nos EUA, um grupo de 52 participantes foi tratado com lisina ou com um placebo.

A lisina foi administrada em doses de 3 gramas por dia, por um período de seis meses. O resultado foi que os pacientes que receberam lisina, em média, tiveram uma redução de 2,5 no número de erupções de herpes. Além disso, as infecções foram curadas mais rapidamente do que as do grupo de placebo.5

Se você gostaria de consumir suplementação de arginina mas tem herpes ativa, deve suplementar com lisina também. A arginina tem um efeito agravante nas infecções de herpes. A lisina, por outro lado, pode bloquear os efeitos da arginina. Por isso é importante, em casos de herpes, manter os níveis de lisina mais altos que os níveis de arginina.

Benefícios de prevenção contra a osteoporose

A habilidade da lisina de promover a absorção do cálcio pode ajudar a proteger das perdas ósseas associadas com a osteoporose.

Um estudo conduzido pela Universidade de Maryland nos EUA descobriu que a lisina, em combinação com arginina, aumenta a função das células que produzem ossos (osteoblastos), bem como a produção de colágeno. Isso promove a densidade óssea e pode ajudar a proteger contra a osteoporose. 6

A lisina pode promover a adição de cálcio e vitamina D para a prevenção de perda óssea.

Lisina contra ansiedade

Há alguns bons resultados, mas nenhuma recomendação terapêutica ainda, com relação aos efeitos positivos da lisina na redução de ansiedade e melhoria de humor.

Em 2007, um estudo confirmou que a lisina pode ajudar a reduzir ansiedade geral e induzida por estresse em homens e mulheres. Os homens participantes também evidenciaram uma redução no nível hormonal de cortisol e da proteína cromogranina A. Ambos são marcadores de secreção que afetam o sistema nervoso simpático (SNS). O SNS ativa a resposta de fuga ou luta dependendo do estímulo externo. 7

Poucos efeitos colaterais mesmo com doses altas

A lisina, assim como outros aminoácidos, é geralmente reconhecida como bem tolerada. Nenhum efeito colateral, contraindicação ou interação medicamentosa conhecidos. Claro, na teoria, efeitos indesejados não podem ser descartados. No entanto, mesmo em estudos de longo prazo em que 8 gramas de lisina foram administrados diariamente, nenhum veio à tona.

Leia mais aqui!

Você quer comprar lisina como um aminoácido individual?

A lisina se presta especialmente para a combinação com outros aminoácidos. Estes suplementos nutricionais de lisina são conhecidos por toda a Europa e recomendáveis.
Leia mais aqui!

Bibliografia:

  1. Meenu, S., et al., “Medicinal uses of L-Lysine: Past and future”, Int. J. Res. Pharm. Sci., 2(4), 2011, S. 637 – 642.
  2. Griffith, R. S., et al., “A multicentered study of lysine therapy in Herpes simplex infection”, Dermatologica,156(5), 1978, S. 257 – 67.
  3. Milman, N., et al., “Lysine prophylaxis in recurrent herpes simplex labialis: a double-blind, controlled crossover study”, Acta. Derm. Venereol., 60(1), 1980, S. 85 – 87.
  4. McCune, M. A., et al., “Treatment of recurrent herpes simplex infections with L-lysine monohydrochloride”, Cutis. 1984 Oct;34(4), pp. 366 – 73
  5. Griffith, R. S., et al., “Success of L-lysine therapy in frequently recurrent herpes simplex infection – Treatment and prophylaxis”, Dermatologica,175(4), 1987, pp. 183 – 90.
  6. Fini, M., et al., “Effect of L-lysine and L-arginine on primary osteoblast cultures from normal and osteopenic rats”, Biomed. Pharmcother., 55(4), 2001, S. 213 – 220.
  7. Smriga, M., et al., “Oral treatment with L-lysine and L-arginine reduces anxiety and basal cortisol levels in healthy humans”, Biomed Res, 28(2), 2007, S. 85 – 90.
Share and help your friends!Share on Facebook
Facebook
Share on Google+
Google+
Tweet about this on Twitter
Twitter
Email this to someone
email
Share on Tumblr
Tumblr